Apruema marca Assembleia Geral para definir sobre paralisação de docentes da Uema

Aconteceu o que todo mundo já esperava, ou pelo menos a maioria, ou seja, nada. A direção da Associação dos Professores da Uema (Apruema) esperou, prudentemente e com serenidade, até o limite da tolerância sobre uma resposta do Governo do Estado, por meio da Casa Civil, em relação ao pleito dos professores da Universidade Estadual do Maranhão, que foi encaminhado, no mês passado, e se encontra em poder, acreditamos, da cúpula do executivo estadual para definição.
Mas, a resposta não veio na data definida pelo próprio secretário de Estado da Casa Civil, deputado estadual Marcelo Tavares, que garantiu, em reunião, no Palácio dos Leões, com a direção da Apruema e na presença do também deputado estadual Eduardo Braide (PMN), no dia 20 de junho deste ano, dar uma resposta oficial à direção da Associação, no máximo em 30 dias, a contar da data dessa reunião. E esse prazo expirou agora no último dia 20 de julho, e sem resposta alguma, o que causou um tremendo mal-estar entre o corpo de docentes da Uema, que aguardavam, pelo menos, por uma definição, já que o pleito vem se arrastando há muito tempo e nenhuma posição oficial do Governo do Estado é tomada sobre o caso em questão.
Assim, ao tomar conhecimento do não cumprimento do que foi acordado, nessa reunião na Casa Civil, a direção da Apruema, sem perder muito tempo, já marcou uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para o próximo dia 9 de agosto (terça-feira), a partir das 15 horas, no auditório do CCSA, para deliberar sobre esse importante assunto.

Compartilhar.