Projeto Capoeira na Melhor Idade vem crescendo no conceito dos docentes sócios da Apruema

A Associação dos Professores da Uema (Apruema), por meio da sua Diretoria de Esporte e Lazer, promoveu, no último dia 23 de abril, no auditório do Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais (Cecen), duas importantes palestras direcionadas especialmente para o seu corpo de docentes sócios. A primeira, abordando o tema Capoeira na Melhor Idade, que teve como palestrante o professor-doutor e mestre em Capoeira João José Mendes Silva, docente do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Uema.

Na sua fala, o mestre João José destacou que a Capoeira é uma atividade de grande riqueza dentro da área da Educação Física, sendo possível desenvolver habilidades de maneira original e com suporte musical. Com isso, dá sentindo à interdisciplinidade educativa. “Hoje em dia, depois de tantas batalhas para outorgar o seu valor, a capoeira é reconhecida como desporto nacional e se pratica em mais de 150 países no mundo inteiro”, revela o professor.

Para o professor João José, a Capoeira, que é um esporte para todas as faixas etárias, não necessita de alto rendimento para idosos, pois eles (idosos) procuram qualidade de vida em primeiro lugar. “A capoeira proporciona diversão, bem-estar, socialização e melhor condicionamento físico, claro, dentro dos seus limites. Isto sem falar no aumento da força muscular e, por consequência, melhoria do humor e da autoestima”, garante.

No segundo momento do evento, o palestrante foi nada menos que o professor-doutor Tarcísio José de Melo Ferreira, da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), que abordou com bastante propriedade o tema: “Cérebro: Aposentadoria e Vida Saudável”, em que enaltece a prática da Capoeira, especialmente para idosos, como melhoria da qualidade de vida dos adeptos desse esporte. Mas o professor Tarcísio Ferreira falou também com bastante clareza, citando exemplos bem práticos, sobre a importância da prática da atividade física, da alimentação saudável, da vida do idoso pós-aposentadoria, e como o nosso cérebro reage a tudo isso hoje, nesse mundo moderno e globalizado.

 

Compartilhar.